quarta-feira, 18 de setembro de 2013

Primavera de Sonhos

As nuvens abriram as suas cortinas do céu
Lua e estrelas molhadas também choravam
Uma tristeza de um pedaço de carne latente
No meio do peito adormecido pelo comprimido
Da dor de existir só um pouquinho aqui nessa varanda
A primavera poderia ter sido minha, mas o outono antecedeu
Nas palavras
Nos sentimentos
No amor
Agora como vou regar  as flores e cuidar das borboletas?