terça-feira, 13 de setembro de 2011

I.

Com o telefone ainda nas mãos, Mina tem seus sentidos engessados por mensagens de um coração doente. O corpo trêmulo e abstinente a carne vencida adormece em belos palácios de ilusões. No escuro só se vê a lua, que de tanto sorrir as estrelas, já não é mais tão bela.
A redenção só pode estar na pureza da alma, que se encontra em um livro. Será que o amor vem de letras ou de palavras? O amor é uma coisa pra ser sentida, vivida e até mesmo perdida pelo seu tempo.
Amanheceu no abajur do quarto, e a melancolia pode até ninar seus sonhos mais distantes de si. Boca, saliva e língua a bebem geladas, feito tubos de vento. Pode-se dizer que é o fim, mas isso é uma menina que só se alimenta da fruta amor.

0 comentários: