quinta-feira, 1 de julho de 2010

Passado-Presente

Na escuridão dos sonhos, uma brecha de luz
na realidade da emoção.
Trago de volta todo aquele momento vivido
em lembranças feitas de tranças, enrolando
todos os sentidos.
Fantasmas reais passeiam pela casa vazia, trazendo
toda cena de um passado–presente, incendiando
meus desejos mais proibidos.
A pele seca (arrepiada), o corpo nu (desejo), a fome da carne (cio),
a sede do gozo–veneno que sai da sua serpente pra dentro de mim.
Na manhã do presente, a realidade aparece
abrindo a janela desse meu sentimento por ti.

2 comentários:

Maria da Glória disse...

Lindo este poema, Shana! Muito bem escrito e muita sensibilidade no tema.
Glorinha

ॐShana Hortaॐ disse...

Grata minha tia!! =]