terça-feira, 25 de agosto de 2009

Mil...

Você me deu mil lágrimas ardentes,
No temporal desfeito de mil beijos…
Mil vidas, mil saudades, mil desejos…
Mil vibrações de tantos olhos quentes!

No entanto, quando assim, fosforescentes,
Elas se vão, quais místicos gracejos,
Pareço ver, ao som de mil arpejos,
Mil funerárias pálpebras dormentes!

Chore por cima de meus olhos baços!
Faça que aqui, silenciosas, corram,
À luz do amor, à luz de mil mormaços,

Mil lágrimas que curem, que socorram…
Para que os olhos não se queimem, lassos,
Para que as minhas pálpebras não morram!

0 comentários: