quinta-feira, 16 de julho de 2009

Jornada Inglória

Eu quis colher, erguendo aos céus a mão,
uma a uma as estrelas do infinito.
Mas nada mais, na efêmera ascensão,
logrei que pô-Ia em rochas de granito.

Se erguia os pés no ar, voltando ao chão
feriam-se nas pedras. E ao meu grito
de dor, bailava no ar a extrema-unção
que uma estrela mandou na asa de um mito.

Alcei em vão o olhar pelos espaços…
E em vez de estrelas julgo, de imprevisto,
que sairá do meu túmulo em pedaços,

na decomposição da minha história,
como um simples santelmo, sem ser visto,
o fogo-fátuo azul da minha glória.

0 comentários: