sexta-feira, 24 de julho de 2009

Ecos de Beijos

A madrugada veio despertar-me
Com vibrações de luz nos horizontes.
E a Natureza tinha para dar-me
Hinos de amor nos pássaros dos montes.

Mandava o Sol as saudações galantes,
Cheias de luz, de amor, de doce alarme.
E os elementos todos, por instantes,
Se transformaram num gigante carme.

Nesse momento doce, apoteótico,
Eis que soluça na amplidão celeste
Um frenesi patético, nevrótico…

Sabes que foi? Um eco forte, agreste,
Indomável, hercúleo, semigótico,
Daqueles beijos quentes que me deste!

0 comentários: