quinta-feira, 7 de fevereiro de 2008

Penas

Pena, que célere alado

deixou cair junto a mim:

és o presente e o passado

do sonho que não tem fim.


Na terra, do céu exul,

igual ao teu é meu fado,

pena que um pássaro azul

deixou cair a meu lado.


Que eu; também, solta na vida,

vagueio de norte a sul,

de leste a oeste, perdida,

atrás do pássaro azul...



0 comentários: