quarta-feira, 27 de agosto de 2008

Olho

                         Aspiro

      Escuto

 

      Nas divisas da noite e do dia

      há qualquer coisa indefinível

 

      A janela ainda não se abriu completamente

      Talvez o ato se confunda com a vontade

      onde a urgência cristalizou na expectativa

 

      Em verdade ainda não se vê

      não se aspira e nem se escuta

      embora tenhamos consciência da presença

                                            [inadiável do milagre

 

      Sabemos que está acontecendo qualquer coisa

                                  [tão velha como o Tempo

      um espetáculo infinitamente bisado e

      infinitamente aplaudido

 

      Os atores ainda estão no camarim

      o palco está deserto

      mas o operador de luzes começa a se

                                            [espreguiçar na ribalta

 

      No entanto o conjunto não parece bem

                                           [seguro do êxito

      Os pássaros ainda ensaiam

.

      os grilos estão serrando o cenário

      as árvores experimentam saias-balão

      e as aranhas-operárias dormem ao se apagarem

                                  [as últimas lâmpadas de orvalho

 

      Apenas suspense

               tudo isso já é o espetáculo

 

      (O dia se organiza

      e eu sou o único espectador voluntário.)

 



0 comentários: