terça-feira, 13 de maio de 2008

Anjo, Serpente, Nave

Em que outros sonhos teu amor se esconde

do meu sonho? Onde o céu, a cova, ou cais

para o encontro fatal? Quem me responde?

Os deuses, creio, não nos falam mais...



Talvez o céu esteja em ti... Mas, onde?

a cova em ti, talvez funda demais...

Perto de ti, talvez, sem rumo, ronde

a nave, sem do porto achar sinais.



Anjo, serpente ou nave - o que procura

em ti? O porto incerto, a cova impura,

o céu onde gozar o amor sem fim?



Se acaso não possuis, do céu, a chave:

não dês pouso à serpente ou porto à nave,

para que o anjo permaneça em mim.

0 comentários: