segunda-feira, 19 de dezembro de 2016

ATRAÇÃO

I

Sentimentos flutuavam em paraísos distantes
Pousavam em aéreas imagéticas
Refúgio no que fazemos
Cotidiano
O portal dos chakras 
O encontro verdadeiro
Alma
Afeto
O desejo da atração
O pensamento
A vontade e o encontro inconsciente
Somos energia - luz

terça-feira, 17 de maio de 2016

MENSAGEM NÃO ENVIADA

Em pico de exaustão física, uma nostalgia rotineira, vem perfumar os pesos, os aparelhos, as lembranças...  Saudade. Aquele cheiro de queijo derretido na massa. Risadas altas em um simplório lugar. Inevitável desejo inconsciente. A louca ironia aqui sorrindo, do pranto da chuva atuando o desconsolo, de um pesar em meio ao latejo do peito. O antigo refúgio no silêncio. Gritos percorrendo as linhas do velho caderno. A infinita coragem de sentir...

quarta-feira, 7 de outubro de 2015

UNIVERSO DOS SIGNOS

Há sonhos que entrelaçam pensamentos surreais
A consciência da morte? E a matéria?
Um sofrimento em desejos utópicos ou reais?
Universo de signos
A realidade do que sentimos nos sonhos.
A bizarrice mais bela
Ódio – Prazer – Paixão
Materialidades inconcretas
[Desejo da alma
A interpretação para a realidade]

quinta-feira, 27 de agosto de 2015

BODUM

A distância pode deixar se perder pelo ambiente podre em vermes?
Vomitar tranquilamente águas salgadas?
Olhos em transe de olhares...
Mal cheiro
O outro lado da face
A dor mais ridícula
Há Há Há!
Pára, achou o quê?
Olhares para...
Dentro, no mais subjetivo profundo de existir
A respiração mais profunda
Arritmia da carne
A morte ou subvida?

quarta-feira, 4 de fevereiro de 2015

LONGE

Hoje veio-me a certeza do que estava preso em mim...
Bastou só uma canção [tudo que veio preencher o vazio,
foram os beijos...]

 
Gosto de boca. Seus pelos acariciando o arrepio da pele. 
Palavras palavras! [Só o que restou de nós foram 
os intervalos do silêncio...]

 Já olhou para o céu hoje? As estrelas são tão distantes uma das outras,
 mais [nem só, elas deixam de brilhar ]

É que nelas preenche-se a luz de saber que
[podemos ser sozinhos em meio ao universo inteirinho...]

Porque a distância é o vazio! 

É por deixar-te sumir assim, que eu te amo tanto!




quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

DIÁRIO

Você se prenderia por um sentimento rotineiro?
O próprio costume?
Deixaria escapar o que não sai da cabeça?
O latejo do coração?

Como entender ou aceitar?
A dose mais profunda de anestesia.
O resgate da alma...

Vamos lá!
E agora?
Mostre-se !
Talvez não dê, pois ainda está na rotina... no medo de ser!
Sentir...
Ah, como eu sinto!

 Eu também consigo ver as cenas... olhares, bocas, palavras, peles.
Sinto! Sinto! Sinto!
Como pode isso?

O existencialismo do ser!
Ai ai...
Chega!
Vou apertar o play: só para esquecer-me por alguns minutos...

sexta-feira, 2 de janeiro de 2015

PRECIPÍCIO

Haverá um dia do encontro
O sentimento a beira do precipício
Pula ou não pula?
A loucura de sentir
O risco!
O paradeiro em nós...
O refúgio no silêncio
Um grito dos pensamentos...



segunda-feira, 24 de novembro de 2014

PREVISÃO


Faço da poesia uma previsão.
Pensamentos congestionados por imagens.
Astros em asas de mariposas
r     s
          t     r   
 a                  o               
            s
        
       [Aqui dentro em sensações de voos]

    A realidade em coleção de palavras.

                     Audição - Visão - Tato

                    -Em tudo que se sente-

Silêncio da própria voz
Estrondo da mente...

quarta-feira, 29 de outubro de 2014

I.V

Os nossos olhos se reencontraram em penetrante nudez...
Afeto em melodia de palavras.
Sentidos inflamados.
O desejo materializado em tato - paladar.